Por trás da magnificência de uma toga há, na essência, sempre, um homem, igual a qualquer outro, repleto de anseios, angústias, esperanças e sonhos.

31 de maio de 2010

A história de Davi Lorso





Acha que tem algum desafio muito grande pela frente (um concurso público, por exemplo)? Leia a história real de Davi Lorso!

Davi Lorso era um colega de colégio e de basquete, em Natal. Estudamos juntos durante alguns anos. Alto, magro e um tanto quanto desajeitado e disperso, sempre foi um aluno mediano.
Acontece que ele era o mais alto da sala e o colégio adotou uma diretriz de que tais alunos tinham que sentar atrás para não atrapalhar a visão dos mais baixos.

Era a sétima série. Aquele rapaz, que já era disperso sentando no meio da sala, sofreu um verdadeiro baque nas notas. Elas se tornaram tão ruins que precisaria tirar mais de dez na recuperação. Resultado: Davi foi reprovado por média em matemática.
No ano seguinte ele sentiu o desgosto de ver os colegas numa série mais adiantada. E continuou tendo que sentar na última carteira da fila. Desestimulou-se ainda mais. Ao final do ano, nova reprovação com um plus: expulsão do colégio. Era o fundo do poço. Abatido, foi falar com seus pais e comunicar que iria parar de estudar.
Sua mãe, preocupada com a firmeza com que a declaração tinha sido dada pelo adolescente, resolveu procurar ajuda médica. Buscou um neurologista. No dia da consulta o médico perguntou então ao rapaz o que o incomodava.
- Doutor, é que eu não nasci para estudar. Acho que tenho um problema de QI.
- Como chegou a essa conclusão?
- É que fui reprovado duas vezes na escola. E por média. Minhas notas foram tão ruins que nem sequer pude fazer recuperação.
O médico franziu a testa, pensou um pouco e perguntou:
- Você prestava atenção na aula?
- Não. O colégio me obrigou a sentar lá atrás, na última carteira da fila.
- Você fazia os deveres de casa?
- Não. Como não aprendia, não conseguia resolvê-los.
- Você estudava antes das provas.
- Não. Como iria estudar o que não aprendi?
- Você pelo menos ia a todas as aulas.
- Faltava às vezes.
- Então você diz que tem problema de QI?
- Acho que sim.
- Poderia sair um pouco? Quero conversar com sua mãe.
- Sim. Claro.
Ao sair, o médico dirigiu-se à mãe de Davi Lorso e disse que iria tentar uma mexida nos brios do rapaz, pois ele precisava era despertar para a realidade. Pediu que nunca mais o pressionasse a estudar, pois estava na adolescência, uma fase de contestação.
Eis que Davi foi convidado a entrar novamente na sala. Dessa vez sua mãe ficou fora. Mal sentou, o médico foi logo lhe dando um cartão de visitas. Davi o leu:
- Açougue... Cartão de um açougue?
- É que meu irmão tem um. Como você está parando de estudar na sétima série e se para pessoas formadas como eu a vida é difícil, imagine para você. Então é bom começar logo cedo pra ver se pelo menos consegue futuramente comprar uma casinha num conjunto. Vou arranjar um emprego pra você lá. Todo trabalho é digno e você terá folga aos domingos – disse, secamente. No mesmo instante Davi Lorso se imaginou calçando aquelas botas brancas de borracha e carregando com muita dificuldade um pernil de boi dentro de uma câmara fria. Foi um choque. Saiu revoltado do consultório e reclamando com a mãe por tê-lo levado a um médico que ao invés de ajudá-lo, queria arranjar um emprego insalubre.
À noite, porém, ao colocar a cabecinha no travesseiro, milhões de elucubrações lhe vieram à cabeça. O que seria dele se parasse de estudar? Qual o futuro que o aguardaria? Certamente aquela vida anunciada pelo médico não lhe era desejada. Logo que acordou, dirigiu-se à sua mãe.
- Mamãe, quero voltar a estudar. Vamos procurar um colégio. A mãe lhe falou, muitos anos depois, que seu coração quase saltou de alegria naquele instante. Mas seguindo a recomendação médica, reagiu com normalidade, para evitar que Davi se sentisse, de alguma maneira, acuado.
Foi difícil encontrar uma escola para o rapaz. Era fora de faixa, pois “reincidente” (reprovado duas vezes!) e tinha “maus antecedentes” (várias suspensões e advertências da escola). Depois de dias de luta, conseguiu uma chance: uma entrevista com a diretora de um colégio de freiras. Dia marcado, lá estava Davi Lorso de frente para a irmã, uma ainda jovem senhora pequena e franzina. Ela foi logo dizendo as regras do colégio, com firmeza, e que só estava dando aquela chance em respeito à mãe do rapaz, que disse ser sua única esperança, e somente se Davi concordasse com todas as regras do estabelecimento. Teria que assistir a todas as aulas, não se atrasar, não conversar em sala de aula e fazer todas as atividades. O jovem, sem alternativas, concordou com todas. Ao final, ela fez uma perguntinha mágica:
- Teria alguma coisa que nós pudéssemos fazer por você que a outra escola falhou?
- Teria sim. Gostaria de sentar na frente e no meio. Nunca sentei.
- Mas você é muito alto.
- Era exatamente esse meu problema. Por isso acho que tive notas tão ruins. Não conseguia nem ouvir os professores e nem ver o que estavam escrevendo no quadro. – Ela pensou um pouco, balançando uma caneta BIC entre os dedos, e vaticinou:
- Está bem. No início do ano chegue cedo para “marcar o lugar”. Prevejo que irão reclamar um pouco no início, mas depois se acostumarão. – E chamou então uma das futuras professoras dele e pediu que comunicasse aos demais essa decisão.
Pela primeira vez cara a cara com os professores, Davi Lorso se deu conta de como eram interessantes as conclusões a que ele chagava junto com os mestres. Nem ligou muito para a reclamação dos colegas de trás para que “tirasse” a cabeça do meio. Matemática não era assim tão ruim, e geografia e história, suas matérias preferidas, estavam fascinantes.
Ao entregar a caderneta bimestral de avaliação para sua mãe dar o visto, ela nem acreditou: só tinham notas acima de 8. Logo pensou, sem poder externar: “tá colando muito!”. Mas ela percebera o rapaz estudando em casa espontaneamente, pela primeira vez na vida.
Para Davi foi uma redenção. Entusiasmou-se com as primeiras notas e passou a se dedicar e prestar mais atenção ainda às aulas. Lembrou de um colega nosso, na época em que estudamos juntos, que fazia perguntas que considerávamos imbecis, mas na hora das provas só tirava dez. Refletiu que o papel do aluno em sala é tirar as dúvidas com os professores. Passou a não levar mais dúvidas para casa. Resultado: no final do ano tinha sido aprovado no terceiro bimestre. Isso mesmo. Suas notas eram tão altas que nem precisou do quarto bimestre.
E assim foi a carreira de Davi Lorso no colégio. Passou no terceiro bimestre em todos os anos que se sucederam, até chegar ao pré-vestibular. Nesse ano não foi muito diferente: somente em matemática precisou das notas do quarto bimestre para passar por média.
Vieram os vestibulares. Fez três. Passou em todos.
O curso que escolheu foi direito. Porém, uma coisa ainda lhe afligia. Tinha vergonha de falar em público. Refletiu que precisaria melhorar sua oratória. Qual o melhor local: o Centro Acadêmico. Resolveu ir à primeira reunião, após convite feito na recepção aos formandos. Durante a reunião, ficou acertado que alguém passaria nas salas pra dar um aviso. Davi se ofereceu para isso. As primeiras salas foram as mais difíceis, pois estava nervoso, já que não era costume falar em público. Mas depois foi se soltando... Resultado: no ano seguinte foi eleito presidente do diretório acadêmico do curso de direito da UFRN e orador da turma na solenidade de formatura.
Na sala em que ele estudava, todo mundo sabia onde ele sentava: na frente e no meio. Prestava atenção às aulas do mesmo modo, e estudava em casa. Nos dias das provas era Davi Lorso na frente, cara a cara com o professor, mais um ou outro "herói", um vazio de carteiras e um monte de gente atrás. Todos sabiam por que estavam tão recuados... Era tentador ir lá para trás, mas Davi sabia que isso o desestimularia a estudar.
Logo depois de formados houve o exame de ordem. Para surpresa dos colegas de sala da faculdade, entre as centenas de candidatos, Davi Lorso ficou em segundo lugar logo no provão. Uma das colegas veio cumprimentá-lo e dizer-lhe que ele tinha sorte.
- Não tenho sorte não. Nunca tive as melhores notas porque tirava oito e meio lá na frente do professor, sem cola, e muita gente (incluindo a colega) ia lá para trás e abria um livro de doutrina ou o código. Assim era fácil tirar dez. Aqui nesse provão da OAB não tem como haver escaramuças... por isso o resultado.
Após a faculdade Davi continuou estudando. Seu sonho, a magistratura. Após três anos de estudo conseguiu passar em um concurso e hoje é Juiz de Direito em Natal, no Rio Grande do Norte, e você está lendo nesse exato instante o que ele escreveu. Davi Lorso... DaviloRso... Davilso Ro... Davlo Rosi... Do Rosival... Rosivaldo! Provavelmente você nem tenha percebido, mas está é a minha história de vida e gostei muito de compartilhá-la com você. Quando for enfrentar algum desafio em sua vida, lembre de “Davi Lorso” e saiba que nem eu e nem ninguém é melhor do que você. Trata-se apenas de ter disciplina e dedicação. Vá em frente. Deixe o seu sonho tomar conta de você e despertá-lo para a vida! Busque concretizá-lo. Se eu consegui, após tudo que passei, você também pode!



*Rosivaldo Toscano é juiz de direito no RN e membro da Associação Juízes para a Democracia - AJD

79 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Renata.
    Satisfação ver suas intervenções aqui no blog.

    Abração.

    ResponderExcluir
  3. Amigo, parabéns por mais um interessantissimo texto.
    Confesso que no inicio imaginei que se travava de algum outro amigo seu, mas fiquei surpreso com o final! Grandes conquistas nos dão maior satisfação quando a jornada é mais árdua... Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Oi Rosivaldo, quando falou da altura, remeti as referências para você, hehehehe. Parabéns pelo texto e por sua história. Ela é bastante motivadora!

    ResponderExcluir
  5. Que história interessante!! Gostei! Parabéns pelo texto, esforço e dedicação.

    ResponderExcluir
  6. Muito mais emocionante foi ao vivo, ouvir sua história. Ao final, fiquei toda emociada. Lembra? Continue vivendo assim, de modo que tenho orgulho de si mesmo. Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Albertina Anacleto31 de maio de 2010 13:45

    Parabéns pela história de superação!

    ResponderExcluir
  8. Parabéns! Muito bonita a sua história.

    ResponderExcluir
  9. Grande Dr. Rosivaldo!!!

    Quando comecei a ler já identifiquei logo o personagem e no final da história, estava certa minha dedução.

    Grande história e grande incentivo para os que querem desistir de tudo no primeiro obstáculo.

    Parabéns.

    ResponderExcluir
  10. Que história!!??
    Muito emocionante,particurlamente eu adorei.
    Pra mim és um exemplo... Se já te admirava antes de conhecer sua história imagina agora?!Rss

    Parabéns pelas consquistas! :)

    ResponderExcluir
  11. Jr., não conhecia essa parte da história, adorei!

    Parabéns! Parabéns por toda superação e pela coragem em expô-la! Aos que estão no caminho é mais que um incentivo!

    Fico cada dia mais feliz por ver em que boas mãos minha irmãzinha está!! =)

    Grande beijo!

    ResponderExcluir
  12. Parabéns pelo sucesso que obteve, mesmo diante de todos os percalços da vida e obrigada por compartilhar um pedaço deste ao repassar grandes incentivos a nós que almejamos superar os obstáculos a cada dia para concretização dos nossos sonhos.

    ResponderExcluir
  13. Incrível! Parabéns! Impossível não recordar de vários nomes de colegas, antigos amigos, que não tiveram a mesma 'ousadia' e, conseqüentemente, produziram um fim menos afortunado, durante a leitura de tão aprazível texto... simples e ao mesmo tempo forte, intenso e marcante! Elucido: A maior virtude não está nas notas obtidas, nem nas conquistas alcançadas pelo ilustre, amigo, Dr “Davi Lorso”. Afinal, estas são meras obrigações de filhos conscientes do seu lugar, dos seus direitos e dos seus deveres! De filhos reconhecedores dos sacrifícios feitos por nossos pais para nos proporcionarem um futuro melhor, saudável e gentil. Porém, destaco, a maior virtude está em descortinar, para todos, as dificuldades que um Herói de hoje teve que passar! Sua história poderia ter sido outra, talvez rica em reclamações, lamentações, em exaltações as injustiças, aos desfechos maus sucedidos e agouros lamentáveis... Entretanto, escolheu o caminho mais árduo! Quando confrontado, frente a frente naquele 'mágico' momento em que o ameaçaram tirar da "sólida e segura ZONA DE CONFORTO", ousou enfrentar monstros e medos, expondo fraquezas, e superando traumas com determinação, garra e objetivos concretos: A Magistratura (!) (bem sabemos, que não obstante, não se encerra aqui!). Todos temos uma história. Cheia de conquistas. Afinal, tudo que temos é exatamente na medida justa do que nós... alcançamos! O difícil é franquear a conquista das nossas... derrotas, das nossas frustrações, dos nossos fracassos! E essa é a maior virtude exposta nesse texto contundente: O Herói, Dr. “Davi Lorso”, admite ser apenas um humano! Mas acrescento, da melhor espécie! Obrigado por nos dar a chance de crescermos e nos desenvolvermos! Obrigado pelo permanente incentivo! Obrigado pelo bom exemplo (o que aumenta ainda mais sua responsabilidade!). Abr4ços!

    ResponderExcluir
  14. Nossa, que história, un verdadeiro incentivos para aqueles que acham que não são capazes.
    Conclusão: tudo é uma questao de determinaçao e disciplina, e tudo é possível.
    Dr. Rosilvaldo, parabénS!

    Sandra Geovana

    ResponderExcluir
  15. Marcelo Paraguai31 de maio de 2010 19:38

    Caramba! Tinha parado de fazer um trabalho da faculdade para jogar wining eleven no playstation :( O jogo fica pra depois. Parabéns por tudo.

    ResponderExcluir
  16. Uma postagem para lá de interessante. Parabéns!

    ResponderExcluir
  17. Excelente exemplo a ser seguido. Parabéns.

    ResponderExcluir
  18. Olá Rosivaldo, eu sou Marcela (namorada de Hermann) lembra? Pois bem, gostei da sua história. Estou em uma ano muito difícil, final de faculdade, exame de ordem, morrendo de medo de tudo, principalmente do futuro!

    ResponderExcluir
  19. JÚNIOR OLIVEIRA1 de junho de 2010 09:59

    Amigo Rosivaldo, vc não sabe o quanto eu já te admirava pela sua simplicidade, seu carisma e seu senso de Justiça, e agora depois de conhecer sua estória continuo achando que tudo na vida é possível, desde que se tenha perseverança, força de vontade e determinação. PARABÉNS amigo. Abraço do Jr. Macarrão

    ResponderExcluir
  20. Obrigado a todos os que postaram pelas mensagens. Elas servem de incentivo também para mim.

    Forte abraço.

    ResponderExcluir
  21. E para os pais o conselho: Procurem escolas que tenham turmas pequenas, senão seu filho corre o risco de ficar lá atrás! Beijus,

    ResponderExcluir
  22. Um verdadeiro vencedor...
    Parabéns, e muito obrigada pelo estímulo.
    bjos

    Lucília Teixeira

    ResponderExcluir
  23. Excelentee! Texto bastante motivador...

    Você como sempre com histórias verídicas e emocionantes. Um exemplo de vida para muitos.

    beijos

    Kivia Aquino

    ResponderExcluir
  24. Erika Monaisa Pinhero3 de junho de 2010 18:28

    Olá,
    Claro que eu sabia desde o início de quem se tratava... li até o final, pensando que não revelaria a identidade de Davi Lorso.
    É um história que me faz pensar muito todos os dias e seguir em frente!

    ResponderExcluir
  25. A vida de Davi Lorso é uma fábula. Com moral da estoria e tudo. Parabens, caro amigo e colega de trabalho. Davi Lorso continua servindo de exemplo até hoje. Te admiro muito.

    ResponderExcluir
  26. Alexandrina Bessa9 de junho de 2010 19:07

    Um grande exemplo a ser seguido.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  27. Valeu Rosivaldo! Desconhecia essa sua trajetória de vida, mas sempre admirei seu comportamento, seu trabalho e sua honradez. Pelo visto, Davi Lorso aprendeu também a escrever. Parabéns.

    ResponderExcluir
  28. Muito bom! Sucesso sempre meu querido!

    ResponderExcluir
  29. Gostei muito, esta história é de grande valia para que os jovens de hoje possa se espelhar nela e ver que o estudo sempre valerá a pena. As dificuldades aparecerão ao longo do caminho e tentarão disvirtuar o jovem, mas o estimulo pelo estudo será muito mais forte. E parabéns
    Abraço.

    ResponderExcluir
  30. Que força em suas palavras..parabéns pelo sucesso!!

    ResponderExcluir
  31. SEM PALAVRAS
    ESTAVA PRECISANDO LER ALGO ASSIM, APESAR DE JÁ TER EM MENTE ESSE OBJETIVO, DE " SEGUIR EM FRENTE"
    MAS É SEMPRE BOM, E EU PARTICULARMENTE, GOSTO MUITO DE OUVIR OU LER RELATOS DE OUTRAS PESSOAS, QUE NOS SERVE COMO UM ENCORAJAMENTO E SEM DÚVIDA, O SEU EXEMPLO É UM ENCORAJAMENTO PARA QUE EU SIGA EM FRENTE, SOU BACHAREL EM DIREITO E JÁ FIZ A PROVA DA OAB 3 VEZES, JA PASSEI EM DOIS CONCURSOS, E ESTOU MAIS ENCORAJADO E COM ALTO ESTIMAPARA SEGUIR EM FRENTE E PASSAR NA ORDEM E EM MAIS CONCURSOS :)

    MUITO OBRIGADO

    ResponderExcluir
  32. muito bom excelente...ao terminar o texto fiquei lembrando dos tempos do salesiano...e dos apelidos... de Junior meu irmão (batatinha)lembra?....bons tempos..a um tempo atraz estava num casamento que vc estava te vi de longe..lembrei Jr. Rosinha..achei ótimo!! grande abraço bom te rever....

    ResponderExcluir
  33. Era tudo que mas precisava...
    Estou enfrentado sérias dificuldades nesse final de semestre, e pensava em desistir!!
    Depois dessa eu sei que sou capaz...
    Obriga grande mestre!

    ResponderExcluir
  34. Parabéns,Dr.Rosivaldo pela sua historia e pelo blog q é um sucesso..!Estou encantada c sua historia de superação,Adorooooooo ler seus textos,que Deus te ilumine a cada dia mais para nos passar mts lições de vida...

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  35. Parabéns Junior sua honra e o seu caráter irreprováveis nos deixam muito orgulhosos, que Natalinha siga o seu exemplo de vida. Fred Machado (Macho Camacho)

    ResponderExcluir
  36. Olá Junior!

    POis é, no meio do texto eu tinha quase certeza que era você o tal Davi Lorso, principalmente por saber que você é autor de livros narrativos como esta bela e entusiasmada história relatada.
    Me identifiquei muito com sua história de vida e percebi muita semelhanças comigo:
    1) estudei em colégio de freiras e era o mais alto da turma;
    2) só sentava na frente, primeira ou segunda cadeira;
    3) nao conseguia entender nada quando sentava lá trás;
    4) fiz o mesmo curso que você fez;
    5) passei no primeiro vestibular também;
    6) tirei entre as 3 melhores notas da minha OAB, com um 10,0 na segunda fase;
    7) e infelizmente nao fui laureado, por meio ponto, mas isso nao me frustrou, pois sei que quase nao colei, apesar da minha imaturidade.
    8) tive o prazer de tê-lo entre as autoridades da minha solenidade de formatura;
    9) me chamo Junior também;
    10) só me resta ser aprovado no concurso de Juiz do Trabalho, mas espero um dia, mesmo que demore muito, conseguir.

    Abraço e adorei o seu texto e o utilizarei como estímulo para crescer na profissão.

    Parabéns!!!
    Você é um vencedor!!!

    Ass: Junior, vizinho de Rosane sua irmã.
    (Nao vou colocar meu nome, para que o cara que foi laureado na minha turma nao saiba que ele colou bem mais do que eu... kkkkkkkkkkk

    Abraço.

    ResponderExcluir
  37. Como a vida é engraçada! Quando estudante de direito, tal qual o Doutor, era elogiada por alunos, professores, amigos, etc, que aclamavam que eu seria excelente advogada; e já no 4° ano elaborava peça penal e de execução penal, que era assinada por uma colega e os honorários divididos. Prestei o Exame da Ordem e tb passei de 1ª.
    E assim que comecei a advogar até que me saí bem, mas, fui me desanimando com as contendas, com os clientes(tudo é culpa do advogado rs) e parei.
    Hoje vivo aos trancos e barrancos(sobrevivo com poucos clientes). Cheguei a dispensar clientes, não atender telefone, alegar que agenda estava cheia, porque queria atuar tendo tudo a meu favor! No mole! Hoje sei que não estava - e será que estou - preparada para encarar as dificuldades forenses!

    Dito isso, cumprimentou-o por compartilhar conosco como ocorreu a superação de suas dificuldades,(pelo que entendi não se tratava de dificuldade intelectual) e estando no lugar certo, fazendo o que tinha que ser feito, mostrou o que era: um aluno brilhante.

    Mas, naturalmente que para sê-lo teve que usar da determinação! E isso é tudo que preciso ler, reler para tentar renascer das cinzas. Não desanimar e ter determinação! Senão daqui a pouco vou ser balconista, garçonete(sem nenhum demérito a profissão).
    Valeu pelas pilulas de ânimo e determinação que estás dar para seus leitores. Abraços

    ResponderExcluir
  38. Emocionte e motivadora história.

    Fiquei imaginando aqui a sua angústia na infância e sua sensação de superação até hj.

    Bendito médico que lhe fez medo em ser açougueiro. Não fosse ele, perderíamos um grande juiz..hehe

    abracos.

    ResponderExcluir
  39. Parabéns Dr.Rosivaldo...Hoje 09/11/2010, tive o prazer de assistir uma entrevista sua no canal, Tv assembleia e trajetoria de vida, interagindo razão e emoção me chamou atenção. Adorei suas palavras, suas estorias cotidianas, pois adoro poesias, faço algumas besteirinhas que me inspiração me favorece. Assim, violei seu blog e descobri realmente quem era seu amigo grandalhão que não gostava de estudar (risos). Valeu!!!!vc é um relevante profissional. Sou pedagoga, educadora e adoro essa sensibilidade voltada para o lado profissional, como vc demonstrou na sua entrevista. Parabéns mesmo.

    ResponderExcluir
  40. Parabéns Excelência
    Essa linda história é uma grande lição de vida, é um exemplo a ser seguido. Comecei a ler e fiquei surpresa com o final, quando descobri que se tratava de sua própria história. Apesar de conhecê-lo recentemente (plantão judiciário), o pouco contato deixou em mim marcado o grande homem que é, demonstrando, de forma impressionante e humildade, além de uma grande preocupação com o ser humano o que o torna por demais, altruísta. Agradeço a Deus por existirem pessoas assim, que não deixam o cargo se sobrepor a si mesmo. Que Deus continue o iluminando a cada dia, o proteja e o conserve essa pessoa de pensamentos puros e justos que tem sido. Parabéns pelo Blog, é perfeito. Como estudiosa do Direito, é tudo o que eu buscava e sendo de uma pessoa com o seu caráter e seu saber jurídico, só tenho a agradecer a Deus.

    Respeitosamente,

    Maria Cleonice Sanches Braga

    ResponderExcluir
  41. Voce (nao sei se posso chamar de vc mais mesmo assim desculpe) nao me conhece mais estou tendo um problema similar ao sou na adolescencia. Estou recentemente cursando o quarto ano de Medicina en uma faculdade boliviana (nao tive a responsabilidade necessaria ou o dinheiro para fazer uma no Brasil) esse è e sempre foi o meu sonho des de criança e o estou realizando. No primeiro ano tive um tombo reprovei uma materia por iresponsabilidade e nao cumprimento dos deveres pois bem passei essa faze. E a agora no quarto ano quando tudo tende a ficar melhor estou sem estimulo algum para estudar e ler livros los quais sao essenciais para um bom medico... Li esse texto e vi que vc tambem nao o possuia e que deu a volta por cima. VOU PENSAR NO FUTURO E TENTAR TAMBEM e tomara que eu consiga. OBRIGADO

    ResponderExcluir
  42. Dr. Rosivaldo,

    Tenho um filho de 14 anos com TDHA, do tipo desatento. Ele tem 1.82 e este ano, após diagnosticar o problema (as notas caíram subitamente este ano)briguei muito com a orientadora pedagógica para que ele fosse retirado do fundo da sala, e ainda assim ele ficou na quarta carteira e na lateral. Este ano, se necessário, vou acionar o judiciário para fazer valer as orientações médicas (neurologista e terapeuta comportamental) que recebi.Moro em uma cidade não tão grande e não tenho opção de outra boa escola. Sei que meu ano será árduo mas, lendo seu relato vou me espelhar em sua mãe, e espero que meu filho se espelhe em você. Vou mostrar seu texto para ele.
    Atc. Beatriz

    ResponderExcluir
  43. Parabéns! A história de vida do Sr. merece constar entre aquelas que servem de norte; um belo exemplo de vida, sem dúvidas.

    ResponderExcluir
  44. Ótimo texto, motivação de primeira para aqueles que enfrentam esse desafio chamado concurso público.
    Gostei de ler e, mesmo tendo passado algum tempo que o texto foi escrito, hoje eu ia começar a estudar e li o texto antes, por mera coincidência, pra começar com o pé direito.
    Eu havi lido sua entrevista na Tribuna do Norte outro dia, também por coincidência.
    Abraço e felicidades.

    ResponderExcluir
  45. Rosivaldo,

    Ainda existe aquela vaga no açougue? rsrsrs

    ResponderExcluir
  46. Nossa, fiquei impressionada com a sua historia e também em como ela se parece comigo. A diferença é que minhas notas ainda não são grande coisa, mas a média fica entre 7 e 7,5.
    Espero, um dia, alcançar meu objetivo, a magistratura, assim como o Sr. conseguiu.
    obrigado pela sua experiência compartilhada

    ResponderExcluir
  47. Fiquei emocionada com seu texto. Sou bacharel em Direito e Adm. de Empresas, funcionária pública estadual, estudei com sacrifício, sou de família simples e meu sonho é a magistratura, porém outras prioridades me afastaram de realizá-lo. Ao ler seu texto resolvi repensar minha vida, pois a realização dele irá solucionar as prioridades.

    ResponderExcluir
  48. Nossa Dr. obrigada por compartilhar sua história.
    Sou aluna do 5º ano de direito no Paraná e precisava deste estímulo para ter forças, pois não é fácil. Sou tímida e também melhorei muito a oratória, agora vou apresentar a banca da monografia e espero ter sucesso. Acredito que todos conseguem o que querem, por mais difícil que seja, o importante é confiar em si mesmo e ter disciplina.
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  49. Dr. Rosivaldo, muito obrigado por compartilhar sua história de vida, muito inspiradora para quem está na batalha dos concursos, como eu. Parabéns!

    ResponderExcluir
  50. Olha só, Davi Lorso,ou melhor, Rosivaldo, comecei a ler sua história pelo fato de me achar distante de uma conquista dessas... ...idade, filhas marido, problemas, etc. Conheci-o porque fui ler sobre Waratt, não sabia do seu falecimento, entristeci-me, conheci-o de bem perto, tornei-me amiga dele, depois nos distanciamos, gostei de sua história, fez-me refletir, a propósito o nome de meu pai, é Davi! Penas que não tenho a idade q vc tinha na época da levantada, embora saiba de meu potencial!Um grande abraço, Cynara Moreno

    ResponderExcluir
  51. Caro Doutor,

    Não o conheço pessoalmente e antes de receber um informativo com esse texto, nunca havia ouvido falar seu nome. Confesso que, lendo sua história, não pude conter a emoção de saber e ver que as dificuldades da vida existem para todos. Quando dei por mim, as lágrimas já desciam do meu rosto como um guia treinado que conhece o caminho em trilhas em meio a matas fechadas. Sou Advogado e assim com o Doutor, espero alcançar um dia a nobreza de simplicidade de ser juiz, que antes de tudo, julga a si próprio e seus atos.

    Parabéns pela sua história!

    Espero um dia poder contar as minhas também...

    Helbert Souza
    helbert_souza@ymail.com

    ResponderExcluir
  52. Caro colega Rosivaldo,. sua vida foi um exemplo que deve ser divulgado.
    Hoje, conheci este texto e li para minha esposa (uma concurseira desanimada) e foi um jato de motivação.
    Gostaria de colocá-lo no meu espaço virtual, com as necessárias referências e créditos autorais.
    Muitos gostariam de ler o que li.
    Parabéns.
    George Lins

    ResponderExcluir
  53. HEHEHE, grande Davi Lorso. Parabéns!

    ResponderExcluir
  54. Parabéns !!
    Sou estudante de Direito, 9º período e achei a história muito interessante!Estou no blog por que gostei muito do artigo sobre normas, principios e postulados.Me identifiquei muito com a parte do "herói" por que é exatamente o pensamento que tenho. Falo isso por saber que tenho de "encarar o desafio", e por isso nunca colei e sempre encarei as provas e tudo mais como um desafio.
    Espero um dia poder estar escrevendo uma história como esta...


    Meus parabéns!

    ResponderExcluir
  55. Oi, Rosivaldo! Gostei bastante do texto. Pra mim, sem dúvida, sua história é um estímulo. Após 3 anos de "quarentena", vou prestar meu primeiro concurso: o 88 do MPSP. Comecei a estudar de forma, digamos..., mais sistemática, no final de 2010 e já posso dizer uma coisa: é uma luta! Diária. Ainda mais pra quem trabalha... Acho que o mais difícil é manter o foco (fica difícil até atualizar o blog; tenho feito o que posso!). Mas é isso ai: vamo que vamo! Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  56. QUE TRAJETÓRIA DE VIDA LINDA. SOU PROFESSORA DE JOVENS E ADULTOS,VOU LEVAR ESSA ESTÓRIA PARA SALA DE AULA, E QUE ELA SEJA UM DIVISOR DE ÁGUA NA VIDA
    DELES(QUE SÃO TÃO EXCLUÍDOS, MARGINALIZADOS, PELA PRÓPRIA CONDIÇÕES DE VIDA.

    PARABÉNS! VOCÊ VENCEU TODAS AS BARREIRAS QUE FOI IMPOSTA.

    ResponderExcluir
  57. Linda história de vida. Parabéns!!! ( J.Chrüz)

    ResponderExcluir
  58. NOSSA ERA TUDO O QUE EU PRECISAVA LER, SUA HISTORIA É MERECEDORA DE TODOS OS SEUS MÉRITOS.
    OBRIGADO POR DIVIDI-LA...
    QUE DEUS TE ABENÇOE!


    ABRAÇOS
    RAYANE RENATA
    VIÇOSA MG

    ResponderExcluir
  59. Saudações Goianas. O Professor Rosivaldo esteve em Goiânia, onde ministrou no VI Simpósio Crítico de Ciências Penais: Direitos e Humanos, uma incrível palestra e também contou a história do Davi Lorso... muito interessante.
    Obrigado e parabéns!

    José Augusto M. Dunck
    Espectador/ouvinte do Simpósio

    ResponderExcluir
  60. Vou ler sua história na sala que sou professor, quero sentir a turma.

    www.professoralvarobarros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  61. Doutor Rosivaldo, chorei lendo o seu texto. Passei pela mesma situação no colégio, inclusive repetindo duas vezes a sétima série e atualmente estou cursando o último ano de Direito e também sonho em ser Juiz de Direito. Muito obrigado por ter escrito esse relato.

    ResponderExcluir
  62. Que texto lindo... Que depoimento de vida maravilhoso, e que exemplo de superação e de coragem. Parabéns, Doutor. (Rosalie Bakker)

    ResponderExcluir
  63. Olá,sou finalista do curso de pedagogia e aspirante ao curso de Direito.Estudar Direito sempre foi o meu sonho, mas as circunstâncias me levaram para outro caminho, mesmo assim insisto e não desisto... Este ano está sendo difícil para mim, pois não é fácil conciliar o último período da faculdade com a rotina de estudos para o vestibular, apesar das dificuldades, tenho motivos suficientes para me levar a ação,MOTIVAÇÃO! Obrigada por compartilhar sua trajetória, histórias como a sua são lições de vida, sempre vale a pena lutar por nossos sonhos! Parabéns pelo blog, ele é um convite para a reflexão!

    ResponderExcluir
  64. Muito gratificante a sua história, mas o que não me ajudou muito foi que o seu problema não era QI e sim dedicação. Já o meu problema é sim QI tenho muito tempo para estudar sou diciplinada nos estudos, não perco tempo tenho um enorme sonho de passar em concurso ter um emprego mas o meu desempenho é desanimador a cada concurso realizado mais desanimada eu fico pois não consigo fazer nem pro EGO.

    ResponderExcluir
  65. Marcelo Vargas Leite15 de novembro de 2012 14:23

    Dr. Rosivaldo Toscano Jr, que história fantástica. Sou aluno da UPF e tive o imenso prazer de assistir sua palestra na noite do dia 14/11/2012 no IX Encontro de Ciências Criminais promovido pela Universidade de Passo Fundo / RS. Parabéns pela trajetória de sua carreira a qual, somente foi possível através de muito estudo, força de vontade, persistência e disciplina. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  66. Meretíssimo, como meu grupo de trabalho aqui em Minas diria seu Blog (e as histórias e ensinamentos) são Maré Bala (muito bom). Abraço. Também estou correndo atrás de um sonho com uma série de obstáculos deixados para trás. Que Deus o abençoe.

    ResponderExcluir
  67. Dr. Rosivaldo , presenciei nessa noite , essa história narrada ao vivo em sua palestra na cidade de Jaú. Admirável ser humano , muito humano . Obrigada por compartilhar sua história que tanto motiva pessoas, que assim como eu , possui sonhos em meio a muitos medos . Deus abençoe sua carreira , é de Juízes com essa linha de raciocínio que carece o nosso sistema Judiciário.


    ResponderExcluir
  68. Dr. Rosivaldo, que linda sua história. É muito parecida com a minha. Mas ainda estou na busca pelo mesmo lugar ao sol em que ilustre se encontra, mas chegarei lá com certeza.

    ResponderExcluir
  69. Parabens Dr. Rosivaldo.

    ResponderExcluir
  70. Parabéns pela história de sua vida e pela iniciativa de dividi-la com aqueles que se encontram em fase de decisão em suas vidas, muitas vezes inseguros e desanimados.

    ResponderExcluir
  71. parabéns pela história! muito feliz de ter lido isso.
    era exatamente essas palavras que buscava hoje e as encontrei por acaso numa pesquisa no Google!
    obrigada!

    ResponderExcluir
  72. amei sua história,sucesso querido!

    ResponderExcluir
  73. Parabéns. Seja muito feliz. Vc merece.

    ResponderExcluir
  74. Bela história! Sem dúvidas uma inspiração!

    ResponderExcluir
  75. PARABÉNS PELO SEU ESFORÇO E DEDICAÇÃO!
    UM EXEMPLO À SER SEGUIDO. PRECISO ME ESPELHAR EM HISTÓRIAS DE VIDA COMO A SUA!! NOSSA, MUITO FORTE!! QUE FUTURO BRILHANTE O SEU!

    ResponderExcluir

IDENTIFIQUE-SE E FIQUE À VONTADE PARA COMENTAR. SOMENTE COMENTÁRIOS ANÔNIMOS NÃO SERÃO ACEITOS.