Por trás da magnificência de uma toga há, na essência, sempre, um homem, igual a qualquer outro, repleto de anseios, angústias, esperanças e sonhos.

18 de junho de 2010

Sobre a Inveja

A Serpente e o Vaga-Lume - Por Rosivaldo Toscano


Certa vez uma serpente fez campana
Pra devorar um vaga-lume que passou.
E perseguiu o insetinho por semanas.
O coitadinho se cansou e perguntou:

- Dona serpente, o que te fiz de mal assim
Para quereres destruir a minha vida?
Sei que nem mesmo tua fome porei fim.
Dai-me ao menos uma resposta, uma saída.

- E quem és tu para aplacar a minha fome,
Seu insetinho que não tem nenhum valor?
Sou poderosa e ignoro até teu nome.
Nem tens tamanho pra causar-me alguma dor.

- Dona serpente, então me explique, por favor,
Para entender o que realmente te anima.
Se sou pequeno, acanhado e sem valor,
Deixe-me em paz para seguir a minha sina...

Eis que a serpente peçonhenta disse bem:
- Já que tu queres entender a minha busca,
Sou uma serpente que rasteja... e nem luz tem.
Voas e brilhas... e o teu brilho me ofusca!

5 comentários:

  1. Caro Dr. Rosivaldo;

    É verdade. Quando somos impulsionadas pela certeza que há em nossos corações e que nos faz galgar novos horizontes, logo nos deparamos com as serpentes da vida. Nesse sentido, como dizia minha falecida mãe: olhe para o “Alto” e siga em frente.

    Um forte abraço!

    ResponderExcluir
  2. Qual foi a resposta do Vaga-Lume? Qual foi? Por que diálogos assim sempre acabam na melhor parte? Vai ver que a inveja retira do invejado até forças para discutir o assunto, né? Como sempre muito boa reflexão! Ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
  3. basta brilhar um pouquinho, né? você deve saber bem disso... e o pior é qdo essa inveja vem de pessoas próximas...acho engraçado, pois, geralmente, como não prestamos atenção na vida dos outros, achamos que ninguém presta na nossa. a cada dia aprendo mais a cuidar da minha vidinha e pronto. ;p

    ResponderExcluir
  4. Que linda, edificante e consoladora mensagem. Realmente, na vida muitas vezes convivemos com certas pessoas que não tem nada para dar, porque sequer descobriram, ainda, o seu próprio valor para usar em favor de si e dos outros. Rosivaldo, amei esse conto, porque com muita sabedoria você nos remete a uma reflexão profunda da vida, trazendo-nos ricas lições de humildade, amor, otimismo e paz. Agradeço à Deus querido amigo, por você existir!

    ResponderExcluir

IDENTIFIQUE-SE E FIQUE À VONTADE PARA COMENTAR. SOMENTE COMENTÁRIOS ANÔNIMOS NÃO SERÃO ACEITOS.