Por trás da magnificência de uma toga há, na essência, sempre, um homem, igual a qualquer outro, repleto de anseios, angústias, esperanças e sonhos.

3 de abril de 2012

De quem é esse discurso de posse?


Imagem extraída do blog A Toca do Lobo Mal


Os trechos abaixo são do discurso de posse de um ex-presidente da República. Leia-o e descubra, ao final, quem foi dos cinco abaixo:

a) Fernando Henrique Cardoso – 1º mandato
b) Luiz Inácio Lula da Silva – 2º mandato
c) João Goulart
d) Emílio Garrastazu Médici
e) Juscelino Kubitschek

"Neste momento eu sou a oferta e a aceitação. Não sou promessa. Quero ser verdade e confiança, ser a coragem, a humildade, a uniãoA oferta de meu compromisso ao povo, perante o Congresso de seus representantes, quero-a um ato de reverdecimento democrático(...) Homem do povo, conheço a sua vocação de liberdade, creio no poder fecundante da liberdade(...) E, porque o creio, convoco a vontade coletiva, a participação de todos os que acreditam na compatibilidade da democracia com a luta pelo desenvolvimento, para que ninguém se tenha espectador e todos se sintam agentes do processo. (...) Homem da lei e do regulamento, creio no primado do Direito. E, porque homem da lei, é que pretendo velar pela ordem jurídica. (...) Homem da lei, sinto que a plenitude do regime democrático é uma aspiração nacional. E, para isso, creio necessário consolidar e dignificar o sistema representativo, baseado na pluralidade dos partidos e na garantia dos direitos fundamentais do homem(...) E espero da Oposição quer nos honre com o cumprimento de seu dever, apontando erros, aceitando acertos, indicando caminhos, fiscalizando e fazendo também a sua escola de democracia, dignidade e respeito mútuo(...) E creio na missão de humanidade, de bondade e de amor que Deus confiou à minha gente(...) E, com a ajuda de Deus e dos homens, haverei de pôr na mão do povo tudo aquilo em que mais creio."

Resposta: o ditador Emílio Garrastazu Médici - A íntegra está aqui.

Portanto,

No discurso, sempre há um emissor por trás.
O lugar de fala do enunciante sempre importa.
São palavras belas? Falam em amor ou paz?
Mas a boca que o enuncia nunca é morta...
O discurso é o lugar do logro... O que ele faz?
Esconde a vontade de poder que o subjaz.

* Rosivaldo Toscano Jr. é juiz de direito e membro da Associação Juízes para a Democracia - AJD

2 comentários:

  1. Realmente as belas palavras sempre são usadas para disfarçar a tirania. Tipo o "Movimento Pela Democracia na Libéria" ou "Frente Democrática Nacional", dentre vários outros grupos sanguinários que gostam de utilizar os termos "liberdade" ou "democracia".Foi assim durante toda a história, e continua sendo assim nos dias atuais. Políticos que entoam honestidade em seus discursos falaciosos, vez ou outra são descobertos trabalhando com o jogo do bicho. O DEM que o diga.

    ResponderExcluir

IDENTIFIQUE-SE E FIQUE À VONTADE PARA COMENTAR. SOMENTE COMENTÁRIOS ANÔNIMOS NÃO SERÃO ACEITOS.